segunda-feira, 27 de agosto de 2018


Conheça o Curso online Doutrina Social da Igreja
Primeiramente, conheça as Orientações para as Eleições segundo os critérios da Doutrina Social da Igreja (DSI) que também servem de base para o seguinte comparativo e análise das propostas de 8 candidatos à Presidência da República nas eleições de 2018.


 Observações preliminares:

  1. Essa análise foi feita por leigos católicos, por livre iniciativa, sem qualquer vínculo com partidos ou organizações políticas.
  2. Não representa uma opinião oficial da Igreja Católica e não foi por Ela encomendada. A Doutrina Social da Igreja não apresenta programas de governo e não tem candidatos oficiais, e os clérigos estão proibidos pelo Direito Canônico de tomar parte ativa na política partidária (c. 287 §2). Por isto, nós leigos tomamos a peito fazer este trabalho.
  3. Os dados das propostas foram todos tirados de fontes oficiais e verificáveis pelos links indicados.
  4. As avaliações das propostas segundo os critérios da DSI são todas coerentes com as já referidas Orientações e com o Compêndio da Doutrina Social da Igreja, salvo qualquer equívoco nosso na análise dos dados, cuja indicação de correção será bem-vinda.

Análise das propostas


Fizemos a listagem das propostas concretas apresentados pelos candidatos, de acordo com o divulgado oficialmente pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Como cada candidato/partido formatou suas propostas de maneiras diferentes, tentamos agrupar as propostas segundo temas: Diretrizes gerais, Assistência e políticas sociais, Noções de direitos humanos, Noções de Governo, Estado e democracia, Saúde, Cultura, Segurança, Infraestrutura, Educação, Meio ambiente, Economia e Internacional.
Nossa avaliação está indicada por um sistema de cores: em vermelho o que é contra a DSI e em verde o que está de acordo com a DSI. Em amarelo, pontos que merecem atenção. O que não está marcado são questões discutíveis ou técnicas, propostas genéricas, óbvias ou que não cabe esta avaliação.
O que estiver em itálico é comentário nosso, bem como as notas no rodapé. O restante é das fontes citadas no documento.

Índice DSI


Criamos um índice ou sistema de notas para atribuir uma nota geral ao candidato comparando e confrontando suas propostas à Doutrina Social da Igreja. As notas atribuídas levam em conta nossa percepção sobre as propostas de acordo com as fontes citadas e não pretendem ter rigor científico.
Foram atribuídas notas -1 (ruim), 0 (neutro/regular) ou +1 (bom) a cada um dos itens de avaliação (histórico, defesa da vida e da pessoa, defesa família, liberdade educação, solidariedade/social, descentralização, livre iniciativa, liberdade expressão, liberdade religiosa, propriedade privada, opção pelos pobres, noções de direitos humanos). O partido também recebe avaliação, que ao final compõe a nota final pela soma entre a nota do candidato e a do partido. Os detalhes da composição das notas obtidas estão nos documentos a seguir.

Os candidatos

Analisamos as propostas de 8 candidatos: 
    • Álvaro Dias (PODE), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL), João Amoêdo (NOVO) e Marina Silva (REDE).
    • Apesar da chapa ser registrada pelo PT ter o ex-presidente Lula como candidato à Presidência e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como vice-presidente, um acordo efetuado com o PCdoB prescreve que a deputada estadual Manuela D’Ávila (RS) ocupe, em um futuro posterior, o cargo de vice. O ex-presidente Lula está preso desde o mês de abril em Curitiba, após ter sido condenado em 2ª instância para cumprir a sentença de 12 anos e 1 mês de corrupção pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, coisa que, segundo a Lei de Ficha Limpa, faz com que ele seja inelegível, o que tanto Lula, como o PT contestam. A questão precisa ser solucionada pelo TSE. Por este motivo, tratamos a proposta e a candidatura simplesmente como PT, sem nenhum nome. O bom senso não nos permite tratar um condenado como candidato.
       
    Não incluímos as propostas de candidatos com intenção de voto irrisória, além do que a maioria deles apresenta grande divergência com a Doutrina Social da Igreja. Porém incluímos os candidatos do MDB e do NOVO a pedidos.

    Comparativo e análises

    Os arquivos estão em formato pdf. Clique para visualizar ou baixar.

    Análises individuais completas, veja nos links abaixo.

     Notas (índice DSI):

    Para detalhes, não deixe de ver os documentos.

    Candidato:
    Vice:
    Coligação:
    Nossa análise da proposta:
    Nota do Candidato
    Nota do Partido
    Nota final:
    Álvaro Dias – PODE
    Paulo Rabello – PSC
    PODE / PRP / PSC / PTC
    36
    2
    38
    Ciro Gomes – PDT
    Kátia Abreu – PDT
    PDT, AVANTE
    -18
    -20
    -38
    Alckmin – PSDB
    Ana Amélia – PP
    PSDB, PP, PTB, PSD, SD, PRB, DEM, PPS, PR
    -9
    -12
    -21
    H. Meirelles (MDB)
    Germano Rigotto (MDB)
    MDB / PHS
    9
    12
    21
    Jair Bolsonaro - PSL
    Gal. Mourão – PRTB
    PSL, PRTB
    30
    26
    56
    João Amoêdo – NOVO
    Christian Lohbauer - NOVO
    9
    8
    17
    Marina – REDE
    Eduardo Jorge – PV
    REDE, PV
    -15
    -8
    -23
    Indefinido – PT
    Indefinido – PT/PCdoB
    PT, PCdoB, PROS
    -51
    -24
    -75
     



    Para orientar a decisão de voto, leia também:

    Categoria: ,

    73 comentários :

    1. Muito obrigado pela matéria. Paz de Cristo

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Muito bom de muita precisão tanto para os de confissão Católica como para aqueles favoráveis a moral e bons costumes.
        Ressalto ainda tendo conhecimento e praticando a DSI não precisaríamos de tantas leis.

        Excluir
      2. Obrigado. É verdade: o excesso de leis é sinal de que falta moralidade.

        Excluir
      3. Como pode um candidato como o Bolsonaro receber verde em quase tudo,sendo que na prática é uma pessoa que prega:Violência,preconceito,desrespeito e tantos absurdos mais, justamente o contrário dos mandamentos cristãos!!Esse site não é imparcial e muito menos de confiança!!O intuito aqui é de manipular as pessoas a votarem no Bolsonaro!Esse site não representa a igreja e muito menos a Cristo!Muito triste isso,não deixem se enganar!!

        Excluir
      4. Você tem que ler atentamente como a análise foi feita, assim vai entender que os itens marcados em verde são propostas que estão de acordo com os princípios da Igreja. Não somos nós que fizemos as propostas e nem fizemos a Doutrina Social da Igreja. Apenas comparamos umas com as outras. Portanto, o(a) senhor(a) deveria reconhecer que esta site é bastante sério pois fez o que se propôs independente do que pensam ou deixam de pensar sobre o candidato. Nosso intuito é o contrário de enganar.

        Excluir
      5. Ninguém é totalmente perfeito, mas, é preciso analisar qual candidato tem a maioria das propostas que se aproximam do que nós cristão cremos. "É preciso olhos para ver e ouvidos para ouvir". Eu conheço o professor Marcio Carvalho, com quem tive a oportunidade de fazer o curso de teologia para leigos em Santos Dumont, atesto sua seriedade, sua sinceridade e competência. Um grande abraço Marcio!

        Excluir
      6. Parabéns pelo estudo minucioso e de tamanha importância, para aqueles que desejam a preservação da família como célula estrutural da sociedade, e de seus valores e princípios, que tanto vemos faltar nos dias de hoje.

        Excluir
    2. Ótimo trabalho, mas tem um erro na contagem de Bolsonaro, era para ele ter ficado com 11, nota final 33 pois o antepenúltimo item (propriedade privada) tem peso dois, ele ganhou nota um e ficou contabilizado apenas um.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. No "Resumo de temas polêmicos" do Ciro faltou marcar com as cores as respostas dele.
        Ah, somente o PDF do Alvaro Dias está abrindo em outra janela, seria interessante que todos os PDFs abrissem em outra janela para facilitar a comparação.

        PS.: Amei o trabalho de vocês, a crítica é apenas visando deixar o trabalho ainda melhor.

        Excluir
      2. Na parte da propriedade privada do Bolsonaro, ele diz tirar toda relativização da propriedade privada justamente para garantir 100%, pq hj em dia existe essa relativização. E a questão opção pelos pobres e irá manter a bolsa família e diminuir o peso do estado nas costas do povo, ou seja: maior facilidade para se ter um emprego.

        Excluir
      3. Sim, e isso é bom. Na parte da propriedade privada fizemos uma observação porque ele utiliza como exemplo uma PEC que permite expropriar em caso de uso para plantio de drogas e trabalho escravo. No primeiro caso é bom, nos parece, mas no segundo é relativo.

        Excluir
    3. Este trabalho de análise está muito bem feito. Parabéns pelo trabalho!

      ResponderExcluir
    4. Muitíssimo esclarecedor... Meus parabéns pelo belíssimo trabalho!

      ResponderExcluir
    5. Parabéns pelo trabalho. Deus o abençoe.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Sem ver isto,so em ser cristão vi que o melhor candidato e o Bolsonaro e óbvio,e quem não votar nele e porque não ta entendendo nada.

        Excluir
    6. Sensacional esse trabalho... Muito obrigada!!! Vamos viralizar na comunidade católica afim de termos votos conscientes e para o bem da família e da sociedade.

      ResponderExcluir
    7. Gostei, mas a Igreja não apoia o liberalismo, o erro não tem liberdade para ser propagado.

      ResponderExcluir
    8. Muito inconsistente a análise de alguns posicionamentos...

      ResponderExcluir
    9. Diante do exposto até agora pelo debate, não voltarei em nenhum candidato coligado a apolítico anterior

      ResponderExcluir
    10. Trabalho muito esclarecedor!!!
      Gostei e vou divulgar...

      ResponderExcluir
    11. Mo Ciro Gomes faltou marcar em vermelho abtabela de resumo lá no final. PRINCIPALMENTE A QUESTÃO DO ABORTO.

      ResponderExcluir
    12. Quem analisou nunca leu o DSI e fez uma analise ideológica e ultra liberal.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Errado. Li e resumi para meus alunos todo o Compêndio, além de quase todos os documentos que são sua base. Quem diz "o DSI" é que parece não saber do que está falando.

        Excluir
      2. Imagino que você é que não tenha lido ou não entendido a DSI, irmão. O texto está coerente, sim, com a DSI, e com outros documentos da Igreja, enfim, com seu magistério e tradição. Dizer diferente seria forçar a barra para que a teologia da libertação seja considerada nessa análise, o que seria um erro. Parabéns aos produtores.

        Excluir
    13. Muito Obrigada por sua análise. Um ótimo trabalho e serviço aos católicos.
      Que DEUS abençoe sua missão. Rezamos por você!

      ResponderExcluir
    14. Meio idiota isso. Doutrina Social da Igreja contra cotas raciais? Contra redução da violência aos LGBT? Pior: Doutrina Social da Igreja é a favor de redução da máquina pública?? Alguém já leu algum documento da DSI?? A Igreja é estatista ao extremo. E que critério é esse que propriedade privada vale mais do que opção pelos pobres? Este post é um desserviço.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. O senhor não leu direito nem as análises nem a DSI.
        1. Cotas raciais são um sistema injusto, arbitrário, segregador, contrário ao princípio de subsidiariedade.
        2. Em nenhuma parte das análises há algo contra redução da violência, mas contra, novamente, à segregação dos homens por critérios artificiais e antinaturais, como a suposta "opção" sexual. Onde marcamos como negativo algo relacionado a LGBT não se refere à violência, mas a essa ideologia de gênero.
        3. A Igreja é contra o estatismo, de "cabo a rabo" na sua DSI. Apenas uma citação do Compêndio, 187: "Com o princípio de subsidiariedade estão em contraste formas de centralização, de burocratização, de assistencialismo, de presença injustificada e excessiva do Estado e do aparato público: «Ao intervir diretamente, irresponsabilizando a sociedade, o Estado assistencial provoca a perda de energias humanas e o aumento exagerado do sector estatal, dominando mais por lógicas burocráticas do que pela preocupação de servir os usuários com um acréscimo enorme das despesas». A falta de reconhecimento ou o reconhecimento inadequado da iniciativa privada, também econômica, e da sua função pública, bem como os monopólios, concorrem para mortificar o princípio de subsidiariedade."
        4. Propriedade privada não vale mais que opção pelos pobres, mas esta é apenas discurso se não tiver a garantia daquela: 176."A propriedade privada, bem como as outras formas de domínio privado dos bens, «assegura a cada qual um meio absolutamente necessário para a autonomia pessoal e familiar e deve ser considerada como uma prolongação da liberdade humana [...], constitui uma certa condição das liberdades civis, porque estimula ao exercício da sua função e responsabilidade». A propriedade privada é elemento essencial de uma política econômica autenticamente social e democrática e é garantia de uma reta ordem social. A doutrina social requer que a propriedade dos bens seja eqüitativamente acessível a todos, de modo que todos sejam, ao menos em certa medida, proprietários, e exclui o recurso a formas de «domínio comum e promíscuo»."

        Excluir
    15. O Bolsonaro não tem proposta de controle demográfico, que não condiz com a DSI?

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Sabemos que ele acredita nisso, mas não está no programa oficial. Ele não leva nota máxima.

        Excluir
    16. Muito bom trabalho. Uma análise fantástica e responsável,que faltava para esclarecer,com mais qualidade e consciência, para os catolicos, a real visão dos candidatos, sob o ponto de vista de uma análise séria cristã. A DSI deve ser realmente a bússola que norteia toda proposta social de uma sociedade séria e que tenha também um governo serio. Parabéns.

      ResponderExcluir
    17. Parabéns pelo trabalho desenvolvido,muito bom,estávamos precisando de alguns esclarecimentos.Valeu.

      ResponderExcluir
    18. Boa tarde.
      Gostaria de saber quem são os analisadores, e as suas formações a respeito da DSI.
      Obrigado.

      ResponderExcluir
    19. Matéria excelente, parabéns a quem organizou. Dá até pra pensar num candidato. Pois até então votaria 000 fim

      ResponderExcluir
    20. Olá, gostaria de saber se foi feito está analise também para os governos estaduais, em especial São Paulo. Obrigada

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá, não fizemos. Se tiver uma relação das propostas dos candidatos é fácil aplicar os mesmos princípios utilizados aqui. À disposição.

        Excluir
    21. Olá! interessante mesmo! sugiro uma revisão nestas análises após os debates, em especial este último na Rede Vida. A questão dos refugiados e do nosso sistema trabalhista é importante ser analisada. Pessoalmente, vejo muitas pessoas criando um mito sobre a figur de Bolsonaro após i incidente em Juiz de Fora, com frases do tipo "sobreviveu porque é escolhido por Deus" .... não só católicos .... isso me preocupa muigo mesmo... é um pensamento simplista e fanático-religioso que estão explorando ...

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá. Obrigado pelo comentário.
        Observo a análise foi publicada em agosto e que as análises são tão somente das propostas oficiais registradas no TSE. Nem seria bom analisar promessas não escritas.

        Excluir
    22. Muito bom. Só não entendi porque a diminuição da maioridade penal está em verde e a questão armamento... sei que a Igreja permite a legítima defesa, mas temos de observar o contexto do país o qual vivemos. Shalom!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Gabriela, em nosso contexto, a legítima defesa é amplamente negada. Nem precisa ser por arma de fogo: se alguém entrar na sua casa e você ferir o invasor com uma faca ou um pau, vai responder criminalmente.
        Quanto à maioridade penal, os "adolescentes" devem ser responsabilidades por seus crimes. Eles não são "vítimas da sociedade". A Igreja não entra em detalhes de como e quando, de qual a idade para responsabilização criminal, mas o princípio é o seguinte: a responsabilidade pelo pecado é sempre individual. Adão jogou a culpa em Eva; Eva, na serpente. Mas cada um peca porque quer. Logo, a partir do momento que alguém tem consciência e razão basicamente formadas já é responsável pelos próprios atos, obviamente com atenuantes ou agravantes. Para a Igreja, com aproximadamente 7 anos uma criança já tem razão e consciência formadas o suficientes para a Penitência; com aproximadamente 12 já alcança a maturidade da fé. Seria boa prática retirar de circulação os infratores de 16 anos, quem sabe até 14, para que não sirvam tão facilmente aos criminosos maiores.

        Excluir
      2. Bom dia não li o documento mas já tinha minha posição formada por ser cristã e o ponto que mais defendo é sermos a favor da vida e contra o aboerto e Bolsonaro foi o único candidato a defender a família e os princípios cristãos e a moralidade.Paz e bem.

        Excluir
    23. Muito bom. Obrigada pela ajuda. Nós cristãos católicos devemos ler os documentos de nossa Igreja e pedir discernimento a Deus para entende-los.

      ResponderExcluir
    24. Muito esclarecedor, parabens, Deus abençoe.

      ResponderExcluir
    25. Amei! Um bom cristão não questiona o certo ou errado ele confia e reza. Como dizem o voto é secreto vai da consciência de cada um entender ou não ou deixa o inimigo tampa os olhos e o entendimento...

      ResponderExcluir
    26. Parabens, Marcio !!!Se nos conhecemos mais a Doutrina Social da Igreja não tínhamos votado em muitos candidatos corruptos!!!
      Deus o abençoe na sua missão!!!

      ResponderExcluir
    27. Não acredito que essa pessoa que ódio é racista homofobico contra as mulheres os pobres é o que a igreja apoia . O papa disse que quem apoia a tortura é torturador igual . Isso é pecado mortal. O que fazer

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Não é o que a Igreja apoia; é apenas uma análise das propostas. O que fazer: se informar melhor sobre os candidatos. Em época de eleição pintam todos ou como santos ou como demônios.

        Excluir

    Related Posts